INSCREVA AQUI CURIOSIDADESOCULTAS

Seja bem-vindo. Hoje é

Seis Profecias Biblicas Que Estão se Cumprindo Hoje



Tiago 1:5 :"Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não censura, e ser-lhe-á dada.
Tiago 1 : 6 : " Peça- a, porém, com fé, não duvidando; pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, que é sublevada e agitada pelo vento".

ASSISTA ABAIXO;


17/08/2012

[UFO] - Arquivos de Ovnis Perdidos [Completo]

[UFO] - Arquivos de Ovnis Perdidos [Completo] 
















JARDIM DO ÉDEN -GENESIS BIBLIA SAGRADA


JARDIM DO ÉDEN -GENESIS BIBLIA SAGRADA



A verdade sobre Novelas DO BRASIL




A verdade sobre Novelas DO BRASIL




Movimentação maciça de tropas dos EUA, preocupa a Rússia EM 2012


Movimentação maciça de tropas dos EUA, preocupa a Rússia EM 2012
17/08/2012


A BOMBA ATÔMICA BRASILEIRA DOCUMENTÁRIO


O BRASIL TEM A BOMBA ATÔMICA? ASSISTA AO VÍDEO E TIRE AS SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES.

Verdade Oculta MANIPULAÇÃO TOTAL



Em 26 de nov de 2011
Existem histórias não contadas, fatos escondidos, pessoas desaparecidas, tecnologia oculta Efeitos especiais estão sendo usados para manipular o espectador. Este video trata de: manipulação televisiva, verdade oculta, televisão maldita, priorizando o lucro, movimento zeitgeist, projeto venus, sistema corrupto.

A Verdade Oculta Sobre a Invasão do Iraque EM 2012


Em 15 de jan de 2012 A verdade sobre a invasão do Iraque contada por um soldado que atuou junto às tropas dos estados unidos. E toda sua indignação acerca da forma bárbara com que os eua depuseram um tirano e de forma imediata assumiram o posto vago, dando inicio a um massacre sem precedentes.



Verdade Oculta a chegada do MicroChipi



em 4 de jan de 2012

Não se esqueça que acima de tudo a Escritura ainda é e sempre sera a melhor fonte de verdades.


A crise está chegando ao brasil;A VERDADE SOBRE O COMERCIAL DO ITAÚ E O FIM EM 2023!!!



Em 24 de jan de 2018

Desde o início dos tempos eu vejo o quanto vocês têm medo do futuro. O futuro é incerto, assusta… Eu nunca falei nada mas agora eu vim pessoalmente contar a verdade. Eu devia ter mais medo de vocês, do que vocês de mim. Porque eu não posso escolher nada. Criar nada. Viver nada. Eu só posso olhar para o que vocês fazem aí no presente e torcer para que vocês façam as escolhas certas. Então amem. Agora. Respeitem quem é diferente de vocês. Agora. Lutem para serem mais felizes. Agora. Porque só assim a felicidade vai existir no futuro. Vocês não estão nas minhas mãos. Sou eu que estou nas mãos de vocês.


O Desenho Proibido Da Walt Disney - "As Crianças de Hitler"


Durante a 2ª Guerra Mundial, foi comum a Walt Disney produzir material antinazista, anti-Alemanha e Anti-Japão... este é apenas um de vários...

"Este desenho assim como outros feitos pelos estúdios Disney na época da segunda guerra serviam para fazer a propaganda de como era ruim o Nazismo para as crianças americanas...assim como os Nazistas faziam o mesmo sobre os que não eram considerados arianos, mais devemos lembrar que ser Alemão não é ser Nazista, muitos na Alemanha não concordavam com as doutrinas Nazistas."


ASSISTA ABAIXO;


17/08/2012

A Verdade Sobre o Big Brother Brasil (novo)



Em 17 de AGOSTde 2012

VERGONHA O defensor que dobrou o Supremo no julgamento do Mensalão

 

A única vitória da defesa no caso mensalão até agora não foi conquista de nenhum dos advogados estrelados que atuam no julgamento, nem custou cifras milionárias. Aliás, foi de graça. O defensor-geral da União, Haman Córdova, fez o que nem o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos conseguiu: convenceu os 11 ministros do Supremo Tribunal Federal a desmembrar o processo e a mandar o caso de seu cliente, Carlos Alberto Quaglia, para ser julgado em primeira instância. Argumentou que falhas impediram o réu de se defender no processo.


 

A uma semana dos 37 anos, o ex-escrivão da Polícia Federal e chefe da Defensoria desde o ano passado foi comemorar a decisão do STF, quarta-feira (15), em casa, com a mulher e com o pequeno casal de gêmeos. Momentos antes, na saída do Supremo, foi surpreendido pelos cumprimentos da patota de "advogados com pedigree", com quem o profissional com salário de R$ 16,6 mil líquidos nunca antes havia conversado.

"Houve surpresa porque, diante de um cenário com tantos advogados brilhantes e renomados, a Defensoria entrava meio que como um dever de ofício, mas foi justamente o nosso assistido que conseguiu obter uma vitória maiúscula, quando se esperava que esses profissionais renomados é que pudessem consegui-la."

Com estilo cordial e ponderado, Córdova faz questão de isentar os ministros Joaquim Barbosa, relator, e Ricardo Lewandowski, revisor, do erro processual. Para ele, a peça é muito complexa e equívocos de cartório acontecem aos montes. "Como os ministros procuram se ater somente aos fatos, é obrigação da defesa tomar conta dessa parte."



O caso do argentino Quaglia, acusado de usar sua empresa Natimar para lavar dinheiro para o PP, chegou à Defensoria em abril do ano passado.

O defensor-geral comemorou o fato de atuar num caso de repercussão como o do mensalão e poder divulgar o nome da instituição que ele considera relativamente nova - 17 anos - e com estrutura precária - orçamento de R$ 84 milhões e 480 defensores em todo Brasil. Mas o excesso de trabalho também fez o neto de militar e fanático por esportes lamentar: "Perdi a Olimpíada, que adoro ver pela TV. Virei madrugadas estudando o processo, então só vi algumas reprises. Isso foi chato."

Haman segue sem nunca ter conversado com seu cliente. Nem por telefone. Para economizar tempo e dinheiro, pediu para que o defensor-chefe de Santa Catarina entrevistasse Quaglia, que vive no Estado. Quando teve dúvidas, enviou perguntas por e-mail ao colega, que repassou ao réu. Aliás, a Defensoria conseguiu para Quaglia que o governo o incluísse em um plano de assistência social e hoje ele recebe um salário mínimo por mês.

Natural de Brasília, seu nome Haman Tabosa de Moraes Córdova é "mais brasileiro impossível, com ascendência cearense e catarinense". Ele conta que nunca conheceu ninguém com o primeiro nome como o seu. "Vim descobrir que, em um passado muito antigo, houve um Haman que matou um monte de judeus. Mas quero que ninguém associe isso ao meu nome. A verdade é que meus pais acharam forte, bonito, só isso." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo




Conheça George Obama, o irmão do presidente dos EUA que mora em uma favela no Quênia


.Reprodução/dailymail.co.uk
George Obama, em sua casa em Nairóbi, no Quênia
O irmão dele é um dos homens mais poderosos do mundo, que convive com a alta sociedade norte-americana. Ele, no entanto, leva uma vida pobre em uma favela em Nairóbi, no Quênia. Essa é a história de George Hussein Obama, meio-irmão do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

George apareceu nos noticiários internacionais após concordar em participar de um documentário sobre a vida do irmão. O filme, chamado 2016, é inspirado no livro de Dinesh D'Souza, jornalista conservador indo-americano, que também dirige o filme ao lado de Gerald Molen. Segundo o tabloide britânico Daily Mail, George não irá criticar o irmão no documentário.

O Obama continua pop: veja as celebridades que apoiam o democrata na campanha presidencial

O meio-irmão do presidente já escreveu um livro chamado Homeland (Pátria, em tradução livre), em que conta por que escolheu viver na favela onde mora até hoje. No livro, George diz que optou por morar no gueto onde “trabalha para ajudar os moradores, principalmente as crianças a ultrapassar os obstáculos” da vida.

“Meu irmão passou a ser o líder de um dos países mais poderosos do mundo. Aqui no Quênia, meu objetivo é ser líder entre o povo mais pobre do mundo: aqueles que vivem na favela” diz George em seu livro, que conta também os esforços de George para criar um time de futebol na região onde mora.

Livro revela que Obama fumava maconha durante faculdade

Apesar da dedicação de George à sua comunidade, o jornalista responsável pela matéria do Daily Mail, Andrew Malone, afirmou que a decisão de George de permanecer na favela vai além de suas boas ações:

“Não há nada de heroico ou altruísta nos motivos dele para viver na favela. Sua razão principal é que a conta da luz é barata e disponível aqui, assim como a cocaína, a heroína e a maconha”.

Malone afirma que George, na verdade, vive no local pela facilidade de conseguir bebidas e drogas, dois vícios do irmão de Barack.

“A decisão de George de ficar na favela, chamada Huruma e conhecida pelo alcoolismo, consumo de drogas e violência, significa que seu próprio comportamento destrutivo chama pouca atenção”, informa a reportagem do Daily Mail.

Ainda segundo Malone, George bebe “do momento em que acorda até ficar inconsciente”.
O jornalista passou dias acompanhando a vida de George e afirmou que, após convidar Obama para almoçar em seu hotel, ele “não saiu de perto do frigobar, convidou meninas e amigos para jantar às minhas custas e se comportou como se fosse famoso”.

Obama era um amante caloroso, diz ex-namorada

O jornalista diz também que George se diz “estar sob pressão” para seguir os passos políticos do irmão e que Barack não envia dinheiro para ele.

Barack Obama cita o meio-irmão em sua autobiografia A Minha Herança (Dreams From My Father, no original). O presidente afirma que George é um “menino lindo”, mas admite que, quando se encontrou com o irmão já adulto, “era como se estivesse se encontrando com um completo estranho”.

Barack e George têm o mesmo pai, que tinha o mesmo nome do presidente. Barack, que nasceu no Havaí, é fruto do segundo casamento de seu pai. Já George nasceu no Quênia e é fruto do quarto casamento do pai dos Obama, que morreu em um acidente de carro quando os filhos ainda eram crianças.
.
Os irmãos Obama: à esquerda, Ge

Greve nas federais faz 3 meses com impasse entre governo e professores

Sindicatos pedem reabertura das negociações sobre salário e carreira.
Governo diz que conversas acabaram e pressiona por volta às aulas.

Professores federais em greve fazem protesto durante passagem de Dilma pelo interior de Minas (Foto: Pedro Trigineli, do G1 MG)Professores federais em greve  
A greve dos professores das universidades federais completa três meses nesta sexta-feira (17) com um grande impasse entre o governo e os sindicatos da categoria. O governo apresentou duas propostas neste período, e fechou um acordo de reajuste salarial com uma das entidades docentes, a Federação de Sindicatos de Professores de Instituições Federais de Ensino Superior (Proifes). No entanto, as outras duas entidades docentes, o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino (Andes) e o Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica e Tecnológica (Sinasefe), que iniciaram o movimento de greve, não aceitaram a proposta.
O governo federal diz que a negociação está encerrada e pressiona as reitorias das universidades a planejar o calendário de reposição de aulas. Por outro lado, Andes e Sinasefe afirmam não reconhecer o acordo e pressiona o governo a reabrir o diálogo. Nesta quinta-feira (16), o sindicato protocolou no Palácio do Planalto uma carta dirigida à presidenta Dilma Rousseff pedindo reabertura imediata das negociações com os docentes em greve.
A greve foi iniciada em 17 de maio. Do total de 59 universidades, 57 aderiram à paralisação, além dos 37 institutos, centros de educação tecnológica e o Colégio Pedro II. Apenas a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e a Universidade Federal de Itajubá (Unifei) não aderiram ao movimento. De acordo com a Andes, professores de 52 instituições realizaram novas assembleias após o governo assinar o acordo com o Proifes e votaram pela continuidade da greve.

Nesta quinta-feira (16), os professores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) votaram pelo fim da greve nos quatro campi da universidade: Florianópolis, Araranguá, Joinville e Curitibanos. A greve começou no dia 11 de julho, após o final do primeiro semestre letivo. Os servidores técnico-administrativos continuam parados.
Professores em greve das universidades federais durante manifestação na Esplanada dos  Ministérios nesta quinta-feira (16) (Foto: Felipe Néri/G1)Professores em greve das universidades federais durante manifestação na Esplanada dos Ministérios nesta quinta-feira (16) (Foto: Felipe Néri/G1)
As principais reivindicações dos servidores são o aumento do piso salarial em 22,8% e a correção das pendências da carreira desde 2007. O piso atual é de R$ 1.034. Os servidores fizeram uma greve de quase quatro meses no ano passado, mas não houve negociação com o governo e a paralisação foi encerrada
Durante todo este período, o governo apresentou duas propostas aos grevistas. A primeira, apresentada no dia 13 de julho, daria reajuste de até 45% aos professores em 3 anos e traria impacto de R$ 3,9 bi aos cofres públicos, foi rejeitada. Na época, Mercadante havia dito que não havia "margem" para um aumento maior, por causa da crise.
A segunda proposta mantém o reajuste máximo de 45% em 3 anos, mas aumenta o piso do reajuste para 25%. O custo total será de R$ 4,2 bilhões até 2015.
Pela nova proposta, o salário inicial, por exemplo, de um professor com doutorado e de dedicação exclusiva passará nos próximos 3 anos dos atuais R$ 7.627,02 para R$ 8.639,50.
Já o salário inicial dos professores iniciantes com mestrado e dedicação de 40 horas saltará de R$ 3.137,18 para R$ 3.799,70.
A remuneração do professor titular com dedicação exclusiva – aqueles que estão no topo da carreira – passará de R$ 11,8 mil para R$ 17,1 mil. O governo propôs também diminuir a quantidade de níveis da carreira de professor universitário, de 17 para 13, alegando que assim facilitaria a progressão dentro da profissão.
Até o dia 31, o governo enviará projeto de lei ao Congresso Nacional com os termos acordados no documento assinado nesta sexta e incluirá no Projeto da Lei Orçamentária Anual o valor que permitirá o pagamento, em 2013, da primeira parcela do reajuste proposto.
Greve de servidores
Além da greve dos professores, as universidades federais estão com muitas de suas atividades administrativas paradas por causa da greve dos servidores técnico-administrativos, iniciada em 11 de junho. As negociações com o governo federal prosseguem. Nesta semana, o governo realiza uma série de reuniões com sindicatos de servidores para negociar reajustes e criação de planos de carreiras com o objetivo de por fim às paralisações de dezenas de categorias.
Para os servidores das universidades, o governo manteve sua oferta anterior de 15,8% de reajuste parcelado em três vezes até 2015, já apresentada na semana passada. A novidade foi a reestruturação de alguns cargos, o que provocou aumento do orçamento de R$ 1,7 bilhões para R$ 2,9 bilhões. Os servidores, porém, reivindicam aumento de 25%, sendo 15% já em 2013. Uma nova reunião está prevista para esta sexta-feira (17).fonte;g1

AddToAny

Página