INSCREVA AQUI CURIOSIDADESOCULTAS

Seja bem-vindo. Hoje é

A CONSPIRAÇÃO DO BÓRAX - Como se impediu a cura da artrite





O boro é um min­eral vital que é necessário para o cresci­mento nor­mal e para a saúde do corpo. Muitas doenças como artrite, sin­tomas da menopausa e osteo­porose, entre out­ros são nat­u­ral­mente alivi­adas pelo Boro. Acredita-se que o boro mel­hora a habil­i­dade nat­ural do corpo humano para absorver o cál­cio e magnésio.

Sin­tomas de defi­ciên­cia: Emb­ora os sin­tomas de defi­ciên­cia de boro não são total­mente com­preen­di­dos, sabe-se que a defi­ciên­cia de boro pode causar metab­o­lismo anor­mal de cál­cio e mag­né­sio. Alguns dos out­ros sin­tomas incluem hiper­tireoidismo, dese­qui­líbrios de hor­mônios sex­u­ais, osteo­porose, artrite e dis­função cerebral.

03/09/2014

ELEIÇÕES OCULTA Três doadores de Dilma concentram 98,6% do total

Eleições 2014

Empresas foram responsáveis por R$ 10 milhões doados

A primeira prestação parcial de contas entregue por Dilma Rousseff (PT) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aponta que a candidata à reeleição arrecadou R$ 10.139.314,71. Das 15 doações feitas a Dilma, três empresas foram responsáveis por R$ 10 milhões, ou 98,62% do total: a campeã das doações, com R$ 5 milhões, é a JBS, maior processadora de carnes do mundo; em segundo lugar, com R$ 4 milhões, é a CRBS, controlada pela Ambev; e por último, com R$ 1 milhão, a Andrade Gutierrez.


ANDRE DUSEK/Estadão
Três empresas foram responsáveis por R$ 10 milhões doados: JBS, CRBS e Andrade Gutierrez

A JBS fez a doação para a campanha de Dilma por duas formas: R$ 4,5 milhões diretamente para a candidatura; outros R$ 500 mil no único repasse recebido até agora pelo comitê financeiro nacional da presidente da República.



Em quarto lugar na doação, com R$ 125 mil, está a Consignum, uma empresa que, segundo informações da Receita Federal, está registrada em Cuiabá (MT) e está apta a atuar em várias atividades econômicas.



Outras 11 doações a Dilma responderam por R$ 14.314,71. Entre os doadores, constam o comitê de Alexandre Padilha ao governo de São Paulo e que tem tido dificuldades para arrecadar recursos na campanha, com R$ 520, e o comitê do candidato a deputado federal e ex-presidente do Corinthians Andrés Sanchez, com R$ 3.375.



Até o momento, os gastos registrados da campanha de Dilma foram de R$ 86.314,71. Foram 17 despesas, sendo que a maior delas, no valor de R$ 22 mil, foi para uma empresa de locação de imóveis. Em segundo lugar, duas despesas empatadas com R$ 15 mil cada: para uma empresa de contabilidade e outra para o pagamento de um recibo de trabalhador autônomo.



De acordo com o comitê, o baixo valor declarado nessa primeira parcial se deve à não contabilização da folha salarial de julho, que deve entrar no próximo balanço. Ao TSE, a campanha de Dilma estipulou como teto de gastos para a campanha R$ 298 milhões.
Eleições 2014
fonte; estadão

BRASIL 2014 USP aprova plano de demissão voluntária até R$ 400 milhões


Cerca de 1,7 mil funcionários poderão participar


Funcionários, professores e alunos das universidades estaduais paulistas em protesto em frente ao portão principal da USP
Funcionários, professores e alunos das universidades estaduais paulistas em protesto em frente ao portão principal da USP
São Paulo - O Conselho Universitário da Universidade de São Paulo (USP) aprovou hoje (2) um plano de incentivo à demissão voluntária de funcionários da universidade.

Ele não é válido para professores. De acordo com a reitoria, a USP usará R$ 400 milhões de suas reservas para colocá-lo em ação. Cerca de 1,7 mil funcionários poderão participar.
Segundo o reitor da USP, Marco Antonio Zago, o plano começará a ser colocado em prática já a partir de amanhã, mas será efetivado apenas em 2015, quando os contratos de rescisão começarão a ser assinados.
“É uma absoluta novidade na USP. Nunca foi feito em nenhuma das três universidades paulistas. É um processo de gestão moderna, usado amplamente em todos os setores, privados e públicos”, destacou Zago.
“Nós temos um quadro muito grande de servidores, 17 mil, e por outro lado você conversa com dirigentes das atividades-fim e eles sentem necessidade de gente. Nós precisamos readequar isso tudo, e uma das maneiras é enxugar o quadro”, acrescentou.
O plano de demissão voluntária prevê vantagens como um salário atual por ano trabalhado na USP, até o máximo de 20 salários, mais 40% sobre o valor do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço.
FONTE;exame.com

Saindo da Matrix Parte 1 - Sinais do Fim dos Tempos


Decreto 8243/2014: Golpe contra a democracia

Segue a íntegra fazer meu pronunciamento na Audiência Pública Sobre o Decreto 8243/2014, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, no Senado Federal, no dia 05 de agosto de 2014.

Exmo. Senador Anibal Diniz, that preside Estes Trabalhos, Ministro Gilberto Carvalho, Ministro-Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Prof. Leonardo Avritzer, professor de Ciência Política da UFMG, Prof. Dalmo Dallari, professor da USP, Prof. José Matias Pereira, professor de Administração Pública da UnB, Senadores e Demais here PRESENTES. Cumprimento a mesa e cabelo Vejo Serei um Única voz dissonante, o Que É salutar Pará o debate Democrático, nsa Que Leva à Reflexão, Que É justamente o Objetivo Desta Audiência pública. 
Gostaria de Começar lembrando here AOS senhores a perplexidade de Aristide Lobo, Quando descreve O Que Aconteceu no golpe de 15 de novembro de 1889, dizendo Que o povo assistiu bestializado Tudo Aquilo, Isto É, alheio Ao Que Aconteceu, sem ter Tido nenhuma Participação Efetiva Naquela quartelada; mas sofreu DEPOIS como consequencias fazer regime novo, com a Própria Crise Econômica decorrente do Encilhamento, e excessos do sistema operacional não florianismo, Por Exemplo, "com desprezo Pelas Regras Jurídicas" (1). Naquela Que foi "A Primeira Grande Mudança de regime Político Apos um Independência" (2), golpistas OS quiseram justificar O Que fizeram dizendo que "se tratava da Implantação de Um Sistema de Governo Que se propunha, exatamente, trazer o Povo para o Proscenio da Atividade política "(3). E OS Fatos mostraram DEPOIS, de Que se Tratou MESMO de Uma falacia. "Havia Algo Mais na Política fazer that Simplesmente hum povo bestializado" (4), mas Forças oligárquicas se voltaram contra o Brasil, Gerando como Aberrações da República Velha. E that perduram here today, com Novas Formas (MAIS sutis, Maïs danosas) na Nova República; na MESMA práxis do Executivo asfixiar o Legislativo, não Pior Exercício do mandonismo, não AFA de hum grupo de Poder Que sufoca como liberdades indivíduos, e como Demais expressões [este Que se Torna Uma facção, favorecida Por Um presidencialismo Que tende a hum absolutismo, e Que recorre à Retórica da democracia, Como Discurso APENAS Pará justificar Que ESSE Determinado grupo imponha uma SUA Ideologia totalitaria, CATEGORIAS usando Sociais Artificiais, [ou MESMO Estratos Sociais vulneráveis ​​Como curral eleitoral, com base de qualquer populismo e sem clientelismo] Para legitimar SEUS Interesses de Poder, Que Nada Democráticos São Paulo. ISSO E Já conhecido na História, desde a Antiguidade.
"E QUANDO, em lugar do povo - Dizia Sócrates, na ágora ateniense - E, Como NUMA oligarquia, Uma Reunião de algumas PESSOAS Que Decreta O Que se deva Fazer, Como se Chama ISSO?" (5) E Responde: Violência e ilegalidade , MESMO revestida de artifícios e sofismas, da Retórica, Estratégia ESSA Bem conhecida. "-? Que São ENTÃO Péricles, um eA Violência ilegalidade Não São Atos Pelos Quais o Mais forte, em vez de convencer o Mais fraco, obriga-o a Fazer O Que LHE Convém" (6) Onde hum Determinado grupo Político Quer se impor e asfixiar Todos Os Demais. Com o Estado Novo, prevaleceu ISSO TAMBÉM: o Poder fazer caudilho, Como o de Hoje, com Lula e Seu grupo de Poder, declaradamente socialista.

Afonso Arinos de Mello Franco, that foi senador Desta Casa, constituinte, that ajudou a Fazer um Atual Carta Magna, Destaca "como deturpações sofridas Pela Expressão democracia" (7), lembrando Lênin, when that Dizia que "a República dos Sovietes, dos Representantes dos Operários, soldados e camponeses E o tipo Mais Elevado de Instituição Democrática "(8). E Observa que "a franqueza de Lênin E cruel e completa, mas TAMBÉM OS SEUS São Patentes Erros [Erros OS da Rússia espalhados Pelo Mundo], fundados em Ilusões da Crença ideológica marxista" (9), Que o PT, de Modo especial, Carrega com Obsessão e obstinação, em POR em Prática Tais Erros Já Condenados Pela História, de triste Memória, nos Países aonde Taís Erros adotados were. E Ensina Afonso Arinos que "a democracia Direta (Como Querem ágora o Governo do PT com o Decreto 8243/20140 de Fato Nunca foi praticada e dela Hoje restam SOMENTE Alguns resquícios Históricos" (10). ISSO Porque a democracia, sr. Presidente, "conta com indiscutíveis bases morais" (11), e aonde faltam essas bases, Não Há Como Existir democracia, mas um Corrosão da democracia, Que Leva à demagogia, à anarquia, à dissolução das Instituições [desde a Primeira eA diretor de Todas ELAS , A Família], à barbárie e um Toda especie de Violência.

O decreto 8243/2014 mostrou Uma cara sombria do Projeto de Poder do PT, é Isso Não É de Hoje, mas desde Seu Nascedouro, QUANDO AINDA se gestava, nos ano 70, não CEBRAP (com Recursos da Fundação Ford), JA prevendo ISSO : USAR como ONGs Pará o aparelhamento de Setores Estratégicos da Sociedade, com gramsciana Metodologia, para, EAo poucos, Irem ocupando os postos (nas Universidades, na Imprensa, nos Partidos, comeu Chegar Hoje, Quando Praticamente Quase de Todos os Partidos São Títeres de Forças Internacionais , Articuladas Pará impor na América Latina uma agenda socialista, um controlista agenda, agenda Uma Globalista.

O Que se Quer com o Decreto 8243/2014 Não É o aprimoramento da democracia, alargando como SUAS Possibilidades de Expressão, Como VEM dizendo o Sr. Ministro Gilberto Carvalho, EM SEUS pronunciamentos. Mas o visto Decreto inviabilizá-la, com "um Conjunto de barbaridades Jurídicas" (12), Que tornam OS Movimentos Sociais - Diz Como Erick Vizollli - "controlados POR Partidos de Esquerda" (13), em especial cabelo Proprio PT. Estrangulamento da democracia no Brasil, Que Quer significar este Decreto, e NÃO A SUA Promoção, Como propagandeia na Mídia falazes OS do PT. E elucida Vizolli: "Sociedade Civil do Pará o Decreto Significa Movimentos sociais" (14). E acrescenta: "Não se enganem:. A intenção do Decreto 8243/2014 E justamente abrir Espaço parágrafo a Participação Política de Taís Movimentos e 'Coletivos' O 'Cidadão' em NADA E beneficiado" (15).

O Decreto Altera Profundamente A Ordem constitucionais de eo equilibrio Entre OS Três Poderes, POIs Cria Conselhos Em Toda a parte, deliberativo com Poder. Tal alteração NÃO poderia Ser PROPOSTA POR decreto [ja aí ESTÁ A SUA inconstitucionalidade]. O Decreto Instaura uma democracia Direta, Que jamais foi pretendida Pela Constituição de 1988. O Decreto esvazia e desmoraliza o Congresso. E ISSO ESTA NÃO PODE Casa permitir. This Casa TEM o Dever constitucional de defender o Legislativo, robustecê-lo, POIs ASSIM eStara protegendo a Sociedade Brasileira da gula de Poder, dos Que Querem se favorecer dos ardis do referido Decreto e dar ASSIM ESSE golpe contra a democracia brasileira.

E acrescenta Vizolli: "A institucionalização de Conselhos Pelo Decreto 8243/2014 lev à Ascensão Política Instantânea de 'Revolucionarios Profissionais', Pessoas Que dedicam SUAS Vidas inteiras à Atividade partidária, em Uma Tática Já antecipada POR Lênin em Seu panfleto" Que Fazer ", de 1902 (Capítulo 4c). Vamos Supor Por Um momento Que o Decreto Seja um texto Bem intencionado, that de Fato pretenda "inserir a Sociedade civil" Dentro de decisões Políticas (como, alias, Afirma o Diretor de Participação social da Presidência da República em Artigo d'O Globo). Ora, quem de exatamente térios ritmo parágrafo Participar de 'Conselhos', 'Comissões', 'Audiências' 'Conferências' e? Obviamente, Não o Cidadão Comum, that gasta Seu dia Trabalhando, Levando SEUS Filhos Pará . A Escola e SAINDO COM OS amigos Tempo e Um Fator escasso, eA maioria das Pessoas Simplesmente NÃO possui horas de sobra Pará Participar ativamente de decisões Políticas - E exatamente POR ISSO Que Representantes São eleitos Pará essas Situações. Quem São como exceções? Não É Difícil saber. Basta Passar em QUALQUÉR sindicato UO diretorio Acadêmico:. ELE eStara Cheio de 'Revolucionarios Profissionais', cuja Atividade Política extraoficial Acabou de Ser legitimada POR decreto presencial "(16) Por ISSO, me referi Aqui no Início à perplexidade de Aristides Lobo, Disse when Que o povo assistiu bestializado Tudo, alheio a Tudo, Como Hoje, Quando O Governo do PT, com o Decreto 8243/2014 Quer alijar das instancias decisórias o povo, parágrafo garantir apaniguados nenhum partido do Governo, o Acesso Às instancias decisórias; apaniguados Estes Que formarão OS "Coletivos", a Sociedade Civil O Decreto, Como afirmou o jornalista Reinaldo Azevedo, ASSIM cria "Duas CATEGORIAS de brasileiros.: OS Que Tem Direito de Participar da vida pública e Os Que Não Tem. Alguém Dira: Ora, basta Integrar hum Movimento sociais, mas ISSO implicará, necessariamente, ter de se VINCULAR um hum partido político "(17).

"Exatamente POR Estes Motivos, Sr. Presidente, tal forma de Organização, confere um extremistas de Esquerda Possibilidades de Participação Política Muito Mais Amplas fazer that they teriam em Uma lógica Democrática 'Verdadeira', na qua ELA Seria uma reduzida Praticamente zero". Mas com a institucionalização da Participação popular, Que o Decreto Quer garantir, estara o povo alijado do Poder decisório, e Estado e Nação ficarão Reféns dos tais "Coletivos". Como Bem Lembra o Dr. Ives Gandra da Silva Martins, que me indicou Pará here repre-lo, Nesta Audiência pública. "As Comissões e Conselhos OS, Segundo o texto oficial, deverão Ser formados Pela Sociedade civil. Entende-se Sociedade civil [esta la no texto do Decreto]," por Cidadãos, Coletivos OS, OS Movimentos Sociais institucionalizados ou Não institucionalizados, SUAS Redes e Organizações "(18), tentáculos OS Como fazer polvo de Lautréamont." Dizem Que QUALQUÉR Pessoa do povo PODE participar, mas sabemos Que O Povo Não É articulado. Articulados São enguias, that entrarão nessas Comissões "(19) E Mais:." Quando enguias Falam de Participação da Sociedade, Todos Nós sabemos Que essas Comissões Serao de Grupos articulados, com OS Movimentos dos Sem Terra e dos Sem Teto e Outros, that TEM mentalidade favorável à Cuba, à Venezuela "(20). Por ISSO, O Povo Continuarà alijado e, Mais uma Vez, bestializado, assistindo a Tudo Mais ISSO [Esse golpe Que É o Decreto 8243/2014], sem trocadilho de nada fazer that ESTÁ acontecendo.

O Que ocorre com o Decreto? A Corrosão da democracia, that favorece o populismo, o clientelismo, a acomodação subserviência ea, a tibieza de Iniciativas PESSOAS, a Dependência do Estado do Pará Tudo, este paternalismo Estatal Que se aproveita da vulnerabilidade social, a par Manipular Pessoas e Instituições, Tornando desprezíveis como liberdades Públicas e Privadas. Como Afirma o Prof. Olavo de Carvalho, em Seu Livro " O Mínimo that rápido Você Precisa saber Pará NÃO Ser hum idiota "," a possibilidade de Iniciativas Sociais MESMA Independentes foi Praticamente eliminada, na Medida em that um DAS Regulamentação ONGs como transformou em Extensões da Administração Estatal (exatamente O Que Quer o Decreto 8243/2014) e em Instrumentos de Manipulação de massas "(21). Os Coletivos São isso: "Construtores Revolucionarios de Uma Sociedade socialista" (22). E o Que Querem? NÃO O Bem Comum, do conforme o Direito Natural; NÃO uma estabilidade [Estamos vendo aí Já OS Sinais apreensivos da Crise Econômica], Não a coesão social, eA garantia Promoção das liberdades indivíduos, da Valorização cultural, civiliza that, mas a banalização da vida, em Todos Os Sentidos, o Triunfo do homem-massa, o barateamento e nivelamento POR Baixo, de Tudo e de Todos, Porque "a Ação do Poder Revolucionário, E Precisamente, uma ruptura do Direito" (23) [e Especialistas Já demonstraram a inconstitucionalidade do Decreto] "e, portanto , da Legalidade, Que É o Domínio da lei "(24).

E E POR ISSO Que o golpe Que se Quer com o Decreto 8243/2014 Lembra uma quartelada de 89. Golpe este Altamente sofisticado, Porque travestido de roupagem sedutora: Em Nome da democracia, Querem instaurar uma Ditadura petista, Querer se implantar o socialismo OE comunismo Neste País, com Apoio internacional. E ESTA Casa de Leis Precisa se posicionar Pará Sustar o Decreto, parágrafo salvaguardar a democracia, parágrafo salvaguardar a Liberdade Neste País, parágrafo Evitar um Curso sovietização em, com tão conhecidas consequencias desse Processo.

O debate da Questão that this motivou Audiência pública, relevantíssimo Pará uma Reflexão Sobre o Que ESTÁ pondo em xeque a democracia Neste País, nos lev um Dizer alto e em bom tom: Não permita ESTA Casa de Leis este atentado á democracia brasileira. E hora dos Homens e Mulheres Deste País, Que Tem de amor ao Brasil, dos Que Sabem fazer SENTIDO e fazer valor do patriotismo, parágrafo se posicionar em Defesa da Democracia, da Liberdade, do Respeito como Instituições, also Desta Casa Legislativa, sempre em vista a Dignidade da Pessoa, de Cada Pessoa humana. Muito obrigado.
fonte; Escrito por Hermes Rodrigues Nery | 27 Agosto 2014
Artigos - Governo do PT
Notas:
1. Afonso Arinos de Mello Franco, Problemas Brasileiros Político, p. 150, Livraria José Olympio Editora, 1975, Rio de Janeiro.
2. José Mutilo de Carvalho, Os Bestializados - O Rio de Janeiro eA República that NÃO foi .p. 11, Companhia das Letras, 2204, São Paulo.
3. Ibidem.
4. Ib. p. 13.
5. Sócrates, Os Pensadores, p. 93, Editora Nova Cultural Ltda, 1999, São Paulo.
6. Ibidem.
7. Afonso Arinos de Mello Franco, Problemas Brasileiros Político, p. 25, Livraria José Olympio Editora, 1975, Rio de Janeiro.
8. Ibidem.
9. Ib. p. 17.
10. Ib. p. 26.
11. Ib. p. 26.
12. Editorial fazer jornal O Estado de São Paulo, Mudança de Regime POR Decreto, 2014/05/30 ( http://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral , Mudanca-de-regime-por-decreto-imp-, 1173217)
13. Erick Vizolli, "Afinal, O Que é esse tal decreto 8,243?" ( http://erickvizolli.jusbrasil.com.br/artigos/121548022/afinal-o-que-e-esse-tal-decreto-8243 )
14. Ibidem.
15. Ibidem.
16. Ibidem.
17. Reinaldo de Azevedo, "Dilma decidiu extinguir a democracia POR decreto. E golpe". Veja on line, 2014/05/29
18. Erick Vizolli, "Afinal, O Que é esse tal decreto 8,243?" ( http://erickvizolli.jusbrasil.com.br/artigos/121548022/afinal-o-que-e-esse-tal-decreto-8243 )
19. Victória Broto ", Ives Gandra alerta: decreto 8,243 E ditatorial", Diário do Comércio, 2014/03/06 ( http://www.dcomercio.com.br/2014/06/03/ives-gandra-alerta-decreto- 8243--e ditatorial ).
20. Ibidem.
21. Olavo de Carvalho, "Tudo O Que rápido Você Precisa saber Pará NÃO Ser hum idiota" (Org. Felipe Moura Brasil), p. 173, Editora Record, Rio de Janeiro.
22. Mark Mazower, "Continente Sombrio - A Europa não Século XX", p. 271, Companhia das Letras, 2001, São Paulo.
23. Afonso Arinos de Mello Franco, Problemas Brasileiros Político, p. 31, Livraria José Olympio Editora, 1975, Rio de Janeiro.
24. Ibidem.


Dialética da covardia Escrito por Olavo de Carvalho

Duas ou três concessõezinhas oferecidas pela candidata à economia liberal, que no fundo em nada diferem daquelas feitas pelo primeiro mandato do sr. Lula, pouco significam em comparação com o fato de que o partido de Marina pertence ao Foro de São Paulo e, como tal,
tem compromissos estratégicos internacionais.

Toda decisão covarde, quer se expresse por ação ou omissão, deixa no fundo da alma uma vergonha que, quanto menos reconhecida e confessada, mais exige rituais histéricos de compensação. Posta vergonhosamente em fuga por um golpe militar que não disparou um só tiro, a esquerda brasileira exibe até hoje os sintomas residuais do vexame enterrado, mas jamais completamente esquecido: daí sua compulsão incurável de exagerar hiperbolicamente os sofrimentos padecidos e a força ameaçadora do adversário, pintado sempre como um dragão voraz mesmo quando obviamente não passa de um cãozinho doméstico.
Exemplo típico é o historiador comunista Nelson Werneck Sodré, do qual escrevi em 2008 (v.http://www.olavodecarvalho.org/semana/080414dc.html) :
“Descrevendo no seu livro A Fúria de Calibã os horrores apocalípticos da perseguição a intelectuais logo após o golpe de 1964, que ele não hesita em nivelar ao que sucedeu na Alemanha de Hitler, acaba se traindo ao relatar que, naquele mesmo período, publicou não sei quantos livros, teve não sei quantas críticas favoráveis, algumas entusiásticas, foi brindado com alguns prêmios literários e no fim ainda recebeu uma homenagem no Instituto Brasileiro de História Militar, em cerimônia realizada na presença... do presidente da República, marechal Castelo Branco. Jamais um historiador consentiu em personificar tão escandalosamente um exemplum in contrarium da sua descrição geral dos fatos.”
Mas, evidentemente, Werneck não foi o único. A repressão foi tão violenta, tão avassaladora, que o período do governo militar (1964-1985) acabou sendo, segundo registros da Câmara Brasileira do Livro, o de maior prosperidade da indústria editorial esquerdista no país.
Paralelamente, jornalistas de esquerda dominavam as redações dos maiores jornais e eles próprios publicavam semanários “nanicos” nos quais falavam o diabo da “grande mídia burguesa”.
Intelectuais e artistas de esquerda imperavam também sobre as universidades e a indústria de espetáculos – tudo isso porque, coitadinhos, tinham sido banidos de toda atividade pública, como os dissidentes soviéticos ou cubanos. Nunca no mundo os perseguidos se refugiaram em catacumbas tão altas e vistosas.
Erik von Kuenhelt-Leddihn já ensinava que ninguém jamais entenderá a mentalidade esquerdista se não estudar muito bem o mecanismo do fingimento histérico.
Mas ninguém cairia vítima de uma neurose se dela não extraísse alguma vantagem secundária, algum lucro que pode ir muito além do mero reconforto psicológico postiço.
Exagerar o tamanho e a periculosidade do adversário dissemina entre os militantes um estado de alerta, instila neles um reflexo de autodefesa grupal que os predispõe a odiar o adversário mesmo e sobretudo quando nada sabem dele. Que partido revolucionário não precisa disso?
Quando uma compulsão neurótica se soma a um proveito objetivo, ficar cada vez mais neurótico se torna um modo de vida, uma “forma mentis” integral que acaba por absorver a personalidade inteira. Que mais pode desejar um revolucionário do que um uma engenharia cênica na qual fugir da realidade se transmuta num meio de agir sobre ela com alguma eficácia?
Dessa incongruência nasce uma segunda, também característica da mente revolucionária, que é o hábito de cantar vitória ao mesmo tempo que se imagina o adversário cada vez mais forte e indestrutível, principalmente quando este agoniza e esperneia no ar entre gemidos de impotência.
É assim que, no seu blog da "Carta Maior", o indefectível dr. Emir Sader, mais conhecido nos círculos reacionários como Marquês de Sader, explica a adesão dos liberais Eduardo Gianetti da Fonseca e André Lara Rezende à candidatura Marina Silva como um truque maquiavélico da direita, prenúncio da restauração conservadora, quando ela é obviamente o oposto: a autodissolução de um corpo debilitado num corpo mais forte que, ao absorvê-lo, o extingue.
Duas ou três concessõezinhas oferecidas pela candidata à economia liberal, que no fundo em nada diferem daquelas feitas pelo primeiro mandato do sr. Lula, pouco significam em comparação com o fato de que o partido de Marina pertence ao Foro de São Paulo e, como tal, tem compromissos estratégicos internacionais que, no presente momento, seus aliados liberais não compreendem e nem sequer vislumbram, e que com toda a certeza prevalecerão, a longo prazo, sobre qualquer arranjo oportunista de campanha eleitoral.
Nada mais característico da debilidade direitista no Brasil, aliás, do que a pseudo-esperteza de aderir ao que não se pode vencer, receita de Maquiavel que, praticada pelo próprio inventor, só o levou de derrota em derrota até a completa humilhação final de ter de viver, na velhice, de um empreguinho chinfrim arrumado, num gesto de caridade, por um de seus velhos inimigos.
Maquiavel é o guru dos derrotados, sempre um derrotado ele próprio. Talvez por isso exerça tanta atração sobre quem não tem a mínima vocação para a vitória nem, por isso mesmo, como diria o sr. Lula, “nenhuma perspectiva de poder”.
Interpretando a debilidade como sinal de força, o Marquês de Sader, por seu lado, foge da realidade ao mesmo tempo que age sobre a mente da sua platéia com realismo exemplar: instigando nos fortes o medo do fraco para impeli-los a torná-lo mais fraco ainda.
Entre a dialética revolucionária e as astúcias teatrais do fingidor histérico, a semelhança não é jamais mera coincidência.
 fonte;Escrito por Olavo de Carvalho | 03 Setembro 2014
Artigos - Cultura
Publicado no Diário do Comércio.

Declaração Universal dos Direitos dos Emasculados

Artigo pétreo. 
Por medida profilática, a virilidade espiritual está para sempre extirpada da República de Banânia.
Eis o abecedário completo da “Nomenklatura”:
a) Todas as pessoas têm o direito inviolável de cair em depressão profunda, desde que seja por qualquer ninharia.
b) Cabe exclusivamente ao Estado definir quem pode e quem deve sentir-se ofendido — e os motivos pelos quais este excelso direito deve ser exercido.
c) Quem não se sentir triste pelos motivos codificados pelo Estado será exposto à execração pública.
d) Está proibida a virtude que a extinta e antiquada civilização católica chamava de “fortaleza”. Portanto, quem ousar sentir-se forte perante qualquer situaçãozinha desfavorável da vida cotidiana será internado nalguma das trezentas mil clínicas psiquiátricas custodiadas, benevolamente, pelo Estado.
e) Todo cidadão tem o dever inalienável de transformar a própria massa encefálica num montículo de merda cremosa. Na dúvida acerca de como proceder, basta dizer “amém” ao representante do Poder Legislativo perante o qual deve comparecer, para informar-se.
f) Graças a uma bondosa concessão do Governo Permanente de Banânia, as palavras “homem”, “mulher”, “pai”, “mãe”, “irmão”, "marido" e "esposa" estão para sempre suprimidas do vocabulário dos cidadãos. No horizonte das novas identidades de gênero, as categorias mentais do triste passado a que estes vocábulos se referem não devem reaparecer em nenhuma hipótese.
g) Quem se sentir magoadinho com o seu próximo está obrigado a recorrer ao Estado para resolver a contenda, por ínfima que seja.Não fazê-lo resultará em multa a ser definida pelo poder discricionário dos governantes.
h) Qualquer tipo de fidelidade entre parceiros sexuais está proibida por lei.
i) Ninguém pode ter o mesmo parceiro sexual mais de duas vezes ao longo de toda a vida. O Ministério da Diversidade Pluri-Sexual Compulsória tratará dos acasalamentos pelos quais cada cidadão passará no decorrer de sua existência.
j) Os cidadãos devem adquirir o hábito de se sentirem usurpados em seus direitos trinta vezes por mês, pelo menos. Nestas ocasiões, precisam levar as suas queixas ao Ministério da Consciência Individual e Coletiva. Quem não reclamar de nada ao longo de trinta dias seguidos será higienicamente deportado para a terra dos pés-juntos.
k) Os cidadãos desta República de Banânia precisam experimentar todas as formas de prazer sexual definidas pelo Estado.
l) Antes dos cinco anos de idade, os infantes devem declamar — de memória e em ritmo de funk — os tópicos da cartilha produzida por sexólogos do Ministério do Erotismo Pan-Sexual da Primeira à Terceira Idade.
m) Se — por qualquer motivo que seja — um genitor ousar levantar a voz à criança que o Estado permite estar sob sua custódia, será encarcerado imediatamente, sem direito a posterior defesa nos tribunais de Banânia.
n) Aos genitores só é licito dar palmadinhas nos seus filhos se for ao modo de iniciação sexual sadomasoquista. Cumpre neste tópico ressaltar o seguinte: os direitos sexuais das crianças são intocáveis a partir de cinco anos de idade.
o) O Estado subministrará todos os recursos para que cada homem creia ser o deus de si mesmo.
p) A única divindade à qual os habitantes de Banânia devem prestar culto é a dos seus respectivos umbigos, limpos ou sujos.
q) Cada cidadão que se sinta momentaneamente pertencente à identidade masculina tem o direito de sodomizar uma pessoa, escolhida a seu bel-prazer, cuja faixa etária esteja entre os cinco e os noventa anos.
r) É livre o exercício do ódio ao próximo, desde que nos ditames da lei definidora das realidades odiáveis e das não-odiáveis no perímetro de Banânia. Para além dos motivos consignados no “corpus” legislativo, o ódio ao próximo será punido com a morte.
s) Cada indivíduo pode proclamar-se pertencente à raça que lhe aprouver, estando apto — a partir da manifestação deste ato solene de sua vontade — a receber os benefícios fiscais e políticos da referida raça.
OBS.: O Estado outorga a cada um dos seus indivíduos a definição do conceito de “raça” que julgar conveniente.
t) Todo cidadão tem o magno direito de exercitar a esquizofrenia, seja verdadeira ou simulada.
u) Qualquer discurso articulado e coerente deve ser banido de Banânia, nação que não tolera elitismos de nenhuma espécie.
v) A heterossexualidade, por tratar-se duma mentira radical que algumas pessoas, por preconceito, contam a si próprias, está proibida. Só deve ser tolerada eventualmente e para fins de preservação da espécie, quando faltarem os métodos artificiais de concepção.
w) Cada cidadão tem o direito de se comunicar na língua que inventar.
x) O governo de Banânia direcionará vultosas verbas a todas as minorias que quiserem expressar as suas preferências políticas,desde que seja nas ruas e no exercício do pleno direito de quebrar o patrimônio dos maiores contribuintes da nação.
y) Nunca mais haverá polícia na República de Banânia.
z) A legítima defesa está abolida. Portanto, a nenhum cidadão é dada a prerrogativa de defender-se fisicamente, ainda que seja em situação de risco de sua própria vida.

fonte;

Artigo pétreo.
Sidney Silveira é professor e edita o blog Contra Impugnantes.


Google inicia projeto de pesquisa sobre computação quântica


Empresa quer desenvolver novos processadores quânticos de informação baseados em eletrônicos supercondutores

Divulgação/Casa da Moeda
Robôs colocam sacos de moedas em caixas
Robôs: Google está trabalhando em projetos que incluem um carro sem motorista e robôs
São Paulo - O Google afirmou que uma equipe de pesquisa liderada pelo físico John Martinis, da Universidade de Califórnia Santa Bárbara, entrará na empresa para iniciar um projeto para desenvolver novos processadores quânticos de informação baseados em eletrônicos supercondutores.

O Laboratório de Inteligência Artificial Quântica é uma colaboração entre o Google, o Centro de Pesquisa NASA Ames e a Universities Space Research Association para estudar as aplicações da otimização quântica relacionada a inteligência artificial.
"Com um grupo integrado de hardware, a equipe de Inteligência Artificial Quântica agora poderá implementar e testar novos designs para a otimização quântica e processadores de inferência baseados em 'insights' teóricos, assim como nosso aprendizado sobre a arquitetura quântica de recozimento D-Wave", disse o diretor de engenharia do Google, Hartmut Neven, em seu blog de pesquisa.
O Google, que está trabalhando em projetos que incluem um carro sem motorista e robôs, tem se tornado cada vez mais focado em inteligência artificial nos últimos anos.
Em janeiro, o Google adquiriu a companhia privada de inteligência artificial DeepMind Technologies.
fonte; EXAME.com

Em Marte há dez anos, Opportunity passará por formatação


Só em seu último mês de operação, o sistema da máquina perdeu alguns dias de trabalho graças às doze vezes nas quais precisou ser reiniciadoGustavo Gusmão, de

Divulgação / NASA JPL
O jipe-robô Opportunity em Marte
Opportunity: não será primeira vez que NASA realiza esse tipo de processo à distância
São Paulo - Há uma década em território marciano, o jipe-robô Opportunity já viveu dias melhores.

Só em seu último mês de operação, por exemplo, o sistema da máquina perdeu alguns dias de trabalho graças às doze vezes nas quais precisou ser reiniciado.
Responsável pelo explorador de Marte, a NASA supõe que o problema esteja em células corrompidas na memória flash da máquina – e por isso mesmo pretende formatá-la, mas daqui da Terra mesmo.
O plano foi anunciado em comunicado publicado na última semana pela agência espacial, que coloca essas panes no sistema como responsáveis por atrasar as “atividades científicas” em mente para o jipe-robô.
Aparentemente complexo, o projeto de TI executado remotamente é descrito como "de baixo risco" no texto, visto que “sequências críticas e o software de voo estão armazenados em outro local, em uma memória não-volátil na máquina”.
Não será a primeira vez que a NASA realiza esse tipo de processo à distância.
O finado robô Spirit, que chegou a Marte junto com o Opportunity, teve alguns surtos de amnésia há cinco anos, e também precisou ser formato a distância. Ou seja, experiência em casos assim é o que não falta para a agência espacial norte-americana.
A formatação – Prevista para ser realizada ainda no começo deste mês de setembro, a formatação da memória do jipe-robô exigirá que os “dados úteis que restam na memória flash” sejam enviados à Terra.
Feito isso, a máquina entrará em uma espécie de estado de “repouso”, que a impedirá de acessar o espaço em manutenção.
A comunicação entre o Opportunity e a base de operação, distantes 200 milhões de quilômetros um do outro, também será feita em uma velocidade menor, de acordo com o comunicado da NASA.
A ideia é adicionar um pouco de resiliência ao processo, para que o robô explorador se recupere mais rapidamente de alguma eventual pane em meio aos preparativos.
Histórico – Bem antes da chegada do mais célebre Curiosity, o jipe-robô da agência espacial aterrisava em Marte em janeiro de 2004 para uma missão que duraria apenas três meses.
Passados dez anos, no entanto, o Opportunity continua funcionando e enviando materiais do planeta vermelho à base de operações da NASA.
A máquina entrou em território marciano acompanhada de outro robô, batizado de Spirit.
Ambos dividiram a exploração do planeta vermelho durante seis anos, até o fim da vida útil do "companheiro", em 2010.
Atualmente, o já idoso aventureiro, bem mais limitado, divide espaço com o Curiosity, outro responsável por enviar imagens e análises à Terra.

7 descobertas surpreendentes do robô Opportunity em Marte

O robô está no planeta vermelho desde janeiro de 2004. Nesses nove anos, o Opportunity fez grandes descobertas e tem superado expectativas

À sombra do Curiosity
Wikimedia Commons
O robô Opportunity está em Marte desde janeiro de 2004. Hoje, vive à sombra do Curiosity, considerado o explorador mais avançado já enviado para o planeta vermelho.
Mas, nesses nove anos, o Opportunity fez grandes descobertas e tem superado expectativas.
Opportunity foi lançado ao planeta junto de outro robô, o Spirit, que já não funciona mais.
O veículo já está no local sete anos a mais do que o previsto. Veja a seguir alguns feitos.
fonte ;EXAME.com

2014 Competitividade brasileira volta a cair e é problema grave


A queda da competitividade da economia brasileira no cenário mundial, segundo o Fórum, reflete o atraso na condução de reformas importantes


Raio-x da competitividade da economia brasileira é desanimador
Competitividade: "o ano de 2012 foi de crescimento da economia e oportunidades em relação à economia mundial, mas o Brasil não soube tirar vantagem dessa situação", observou especialista
Genebra e São Paulo - O Brasil tem um dos Estados mais ineficientes, a segunda pior burocracia e apenas cresceu nos últimos anos à base do crédito e do boom de commodities.

Agora, a falta de competitividade pode se tornar um "severo" problema para o crescimento da economia e só uma ampla reforma poderá tirar o país da crise.
O alerta é do Fórum Econômico Mundial (WEF, na sigla em inglês). A organização já anunciou que, para seu evento em Davos, na Suíça, em janeiro de 2015, quer a presença do vencedor da eleição presidencial para explicar o que será feito para tirar o país da recessão.
O Fórum ocorre três semanas depois da posse no Brasil, em janeiro, e seria o primeiro palco internacional de um novo presidente ou de um segundo mandato de Dilma Rousseff.
A queda da competitividade da economia brasileira no cenário mundial, segundo o Fórum, reflete o atraso na condução de reformas importantes. O Brasil caiu da 56ª em 2013 para a 57ª colocação no Ranking Global de Competitividade 2014, que conta com uma compilação de 144 países.
Entre os Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), a economia brasileira está à frente apenas da indiana, 71ª colocada.
A Suíça mais uma vez liderou o ranking. Em seguida vêm Cingapura, EUA, Finlândia e Alemanha. O único país da América do Sul à frente do Brasil é o Chile, no 33º lugar, e as últimas posições são ocupadas por Guiné, Chade e Iêmen.
Carlos Arruda, coordenador do Núcleo de Inovação da Fundação Dom Cabral (FDC), instituição responsável pela coleta e análise dos dados do Brasil no levantamento, disse que a perda de uma posição não é significativa, mas alertou para o crítico movimento de perda de nove posições em dois anos.
"O ano de 2012 foi de crescimento da economia e oportunidades em relação à economia mundial, mas o Brasil não soube tirar vantagem dessa situação", observou.
Para ele, aquele era o momento de o governo tentar resolver questões que remontam aos anos 1990, como levar adiante reformas dos sistemas tributário e trabalhista e simplificar o marco regulatório.
Arruda também afirmou que o Brasil precisa se comprometer com a elevação dos investimentos e melhora da infraestrutura do país. Ele lembrou que muitas obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), por exemplo, estão fora do cronograma inicial.

Ineficiência
De acordo com o ranking do Fórum, apenas a Venezuela tem um peso da regulamentação estatal mais nefasta que no Brasil. Para Beñat Bilbao, economista sênior da entidade, o problema é que o governo nem sequer conseguiu fazer as reformas estruturais que prometeu. "O Brasil desperdiçou o período de vacas gordas e não fez as reformas estruturais. Agora, será ainda mais difícil."
Na avaliação de Bilbao, um dos maiores problemas no Brasil é a ineficiência das instituições públicas. No ranking, o país está na 135ª colocação entre 144 governos em termos de desvios de dinheiro.
Em apenas quatro países a confiança da população nos políticos é mais baixa que no Brasil e, dos 144 governos avaliados, o país está apenas na 137ª posição no que se refere ao desperdício de recursos.
"Não vimos avanços no que se refere à eficiência do Estado", alertou Bilbao, sobre os últimos anos. "Isso é fundamental para que o governo tenha a capacidade de reformar a economia."
Além da questão da corrupção, o que pesa na avaliação do Fórum Econômico Mundial é o papel do Estado no funcionamento do mercado nacional. Para ele, é necessário que o Brasil se abra. "Isso geraria uma maior concorrência interna."
"O grande destaque deste ano foi a não ação", disse Arruda, da Dom Cabral. Mesmo com avanços em determinadas áreas, um país perde posições no ranking se outros obtiverem uma nota maior. Ele lembrou que o Brasil adotou medidas para simplificar os tributos sobre a folha das empresas e tentou reduzir a burocracia para abertura de negócios, mas países como Colômbia e México avançaram muito mais nesses tópicos.
A questão trabalhista foi o maior destaque negativo do Brasil, disse Arruda, lembrando que o tema teve avaliação crítica em vários indicadores. Em eficiência do mercado de trabalho, por exemplo, o Brasil caiu 40 posições desde 2012 (da 69ª para a 109ª, a maior variação negativa entre os 12 temas
. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AddToAny

Página