INSCREVA AQUI CURIOSIDADESOCULTAS

Seja bem-vindo. Hoje é

Mulher de 24 anos descobre que não tem cerebelo


O cerebelo representa cerca de 10 por cento do volume total do cérebro e contém 50 por cento dos neurônios


Tomografia computadorizada de um cérebro
Cérebro: problemas no cerebelo podem levar a comprometimento mental, distúrbios de movimento e epilepsia
São Paulo - Uma mulher chinesa de 24 anos foi ao hospital porque estava com tontura e náusea. Os exames revelaram que a paciente não tem uma parte do seu encéfalo. O caso assustou os médicos pelo mundo.

Segundo a New Scientist, quando foi internada, a mulher disse aos médicos que costumava ter problemas para caminhar. Sua mãe informou que ela só começou a andar com 7 anos e a falar com 6 anos.
Uma tomografia computadorizada identificou a origem do problema: ela não tem cerebelo, que representa cerca de 10 por cento do volume total do cérebro e contém 50 por cento dos neurônios. Essa parte do cérebro estabelece o equilíbrio corporal, recebe estímulo de músculos e tendões, além de controlar atividades motoras.
Problemas no cerebelo podem levar a grave comprometimento mental, distúrbios de movimento e epilepsia. No entanto, nessa mulher, a falta de cerebelo resultou em apenas em leve deficiência motora e de fala.
Um artigo sobre o caso foi publicado no periódico Brain. Esse não é o primeiro caso na medicina de uma pessoa sem o cerebelo. A chinesa faz parte de um grupo de nove pessoas que viveram sem o cerebelo por problemas congênitos ou por cirurgias.
  fonte;EXAME.com

Como será o futuro se a Escócia se tornar independente 2014


O Reino Unido começa a questionar o que poderá acontecer se a Escócia se tornar independente


Bandeira da Escócia
Escócia seria o 1º Estado independente europeu após a desintegração da Iugoslávia
Londres - Dias antes do referendo de 18 de setembro, e com as pesquisas revelando um empate técnico, o Reino Unido começava a questionar o que poderá acontecer se a Escócia se tornar independente.

Uma das consequências poderia ser um pedido de demissão do primeiro-ministro britânico David Cameron, assim como um período confuso e de complexas negociações entre os governos britânico e escocês para a separação das duas economias e de sistemas políticos profundamente interrelacionados depois de três séculos de história compartilhada.
O Partido Nacional Escocês (SNP) já fixou a data de 24 de março de 2016 — 309° aniversário das Atas de União entre Inglaterra e Escócia - para completar o processo e declarar uma secessão que reduzirá a superfície do Reino Unido em um terço.
A Escócia seria o primeiro Estado independente criado na Europa desde a sangrenta desintegração da Iugoslávia, embora fosse mais comparável à partição, em 1993, da Tchecoslováquia em dois países, a República Tcheca e a Eslováquia, de maneira pacífica e consensual.
Grande parte do que aconteceria entre o "Sim" do referendo e 2016 ainda é incerto, como a questão de se a Escócia poderá continuar como membro da União Europeia como uma entidade independente ou teria de entrar na fila para solicitar seu reingresso como um novo país.
A data das eleições gerais da Grã-Bretanha - atualmente previstas para maio de 2015 - poderão ser adiadas porque os deputados britânicos que a Escócia elege ficariam menos de um ano no parlamento.
O consenso entre os analistas é que as eleições não serão adiadas, mas que não se permitirá que os deputados escoceses recém-eleitos votem a respeito de qualquer legislação relativa à Inglaterra e a Gales.
Estes são os aspectos mais importantes a serem negociados:
- Petróleo e gás: o tesouro da Escócia - as jazidas do Mar do Norte - provavelmente ficarão divididas geograficamente.
No total, 85% das reservas conhecidas da zona estão no que seria o território escocês e o setor pode constituir 15% da economia da nova Escócia.
- Compartilhar moeda e dívida. Uma questão econômica-chave será como compartilhar a dívida da Grã-Bretanha, de £1,4 trilhão (€1,8 trilhão, 2,3 trilhões de dólares). O governo escocês disse que poderá dividir proporcionalmente de acordo com a população.
A Escócia continuaria usando a libra nos próximos meses, mas o que aconteceria depois da plena independência ainda é dúvida, já que o governo britânico descarta compartilhar a moeda.
A opção mais provável seria a Escócia utilizar a libra sem um acordo formal com a Grã-Bretanha - como o Panamá ou o Equador com o dólar americano ou o Kosovo com o euro.
- Constituição: o governo escocês também disse que quer uma convenção que reúna as empresas, a sociedade civil e os sindicatos para ter uma Constituição por escrito, algo de que carece o Reino Unido.
Também pretende que a Constituição proíba as armas nucleares na Escócia e a saída, em 2020, dos submarinos nucleares britânicos Trident, atualmente na base naval de Faslane, perto de Glasgow.
- Fronteiras: o campo pró-independência pretende que a fronteira continue sendo invisível, mas sua ideia de abrandar a política de imigração poderá levar o Reino Unido a implantar controles.
O SNP também diz que não serão necessários passaportes para os visitantes do Reino Unido à Escócia e vice-versa, assim como com a Irlanda.
- A rainha: o Partido Nacional Escocês (SNP) disse que quer que a nova Escócia seja uma monarquia constitucional, com a rainha Elizabeth II como sua soberana - como acontece com a Austrália ou o Canadá - e que se unirá à Commonwealth.
A rainha está neutra no debate e não sofrerá qualquer mudança em relação a sua amada residência de veraneio de Balmoral, no nordeste da Escócia, porque é uma propriedade privada da família real.
  fonte;EXAME.com

brasil maioria dos poupadores guarda até 10% do salário em 2014 setembro


No levantamento realizado pelo instituto Ipsos para a Fenaprevi, apenas 30% das famílias brasileiras disseram ter uma reserva financeira


Poupança tem o menor valor de captação em junho desde 2011
Poupador guarda moeda em cofre: Poupança é a aplicação mais popular
São Paulo - Entre os poupadores brasileiros, a maioria (52%) guarda até 10% do orçamento mensal. Esta é a conclusão de uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira (15) pela Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (Fenaprevi), que reúne 75 seguradoras e entidades de previdência privada no país.

Apenas 26% conseguem reservar entre 10% e 20% do orçamento do mês, e 2% conseguem poupar 40% ou mais do que ganha mensalmente. 
 
A média de recursos poupados pelos brasileiros é de R$ 626,15 ao mês. Do total de quem guarda parte do orçamento mensal, 12% não sabem dizer qual valor. 
 
O estudo, realizado pelo instituto Ipsos, entrevistou 1,5 mil brasileiros com idade entre 20 e mais de 60 anos, pertencentes a todas as classes sociais. A pesquisa foi realizada em domicílios localizados nas cinco regiões do país. 
 
No levantamento, apenas 30% disseram poupar parte da renda mensal, enquanto 78% dos entrevistados declararam não ter uma reserva financeira. 
 
A poupança é a modalidade de investimento mais popular, utilizada por 85% dos entrevistados (veja como investir na poupança do jeito certo). A aplicação financeira é seguida por fundos de investimento (5%) e planos de aposentadoria (3%).
Previdência privada
Entre os entrevistados, 21% declararam ter interesse em adquirir um plano de previdência privada em algum momento da vida. Outros 16% pensam em iniciar o investimento nos próximos cinco anos e 5% nos próximos 12 meses.
No levantamento, 78% disseram não conhecer o investimento, e 22% afirmaram saber algo sobre a previdência privada (faça o teste).
A região Sul é a que registra maior familiaridade com o investimento (29%). No Centro-Oeste, os que têm alguma informação sobre a previdência privada somam 25% e, no Sudeste, 24%. No Nordeste, o índice de conhecimento é de 14%.
As classes A e B são as mais bem informadas sobre a aplicação financeira (37%), seguidas pela classe C (17%) e as classes D e E (7%).

O público que tem mais conhecimento sobre a previdência privada está concentrado na faixa dos 30 aos 44 anos (27%). Na faixa dos 45 aos 49 anos, este índice cai para 24. Dos 50 aos 59, 19% conhecem os planos de previdência privada e, acima dos 60 anos, 18%.
Entre os jovens de 23 a 29 anos, 19% dizem ter informações sobre a previdência complementar aberta.


São Paulo – Como já dizia o famoso físico irlandês William Thomson Kelvin: “Aquilo que não se pode medir não se pode melhorar”. Pois se você está pensando em organizar suas finanças em 2014, seja para se livrar de dívidas, ou para acumular um milhão de reais em dez anos, fazer um controle das despesas e receitas é a melhor forma de começar seu projeto.
Nesta galeria você encontra 10 planilhas, sites e apps de controle financeiro que agradam dos mais generalistas aos mais minuciosos. São sugestões para quem ainda gosta da boa e velha planilha de Excel ou para quem prefere fazer tudo pelo smartphone. Navegue e veja qual sugestão se encaixa melhor ao seu modo de gerenciar suas finanças pessoais.

Para conter imigrantes, milícia nos EUA promete fechar fronteira com México indefinidamente 2014 setembro


Prejuízos serão de cerca de US$ 1,4 bilhão, segundo organizadores; ação é contra “ameaça” representada por imigrantes e deve durar até que governos de EUA e México atendam reivindicações
Cidadãos norte-americanos e estrangeiros com permissão para morar nos Estados Unidos estão sendo convocados para defender o território nacional e lutar contra a “ameaça” representada por imigrantes que diariamente cruzam a fronteira com o México. No próximo sábado, 20 de setembro, a milícia civil Patriots pretende fechar todos os postos fronteiriços norte-americanos.
A ação reivindica uma presença maior da patrulha fronteiriça e da Guarda Nacional na região e o reforço das leis migratórias. Os patriotas armados também não descartam a possibilidade de utilizar uma vala eletrificada na fronteira para conter os imigrantes.

Leia mais: Militarização e novas leis não resolvem crise migratória nas Américas Central e do Norte, diz economista
O grupo antiimigrante espera provocar perdas de aproximadamente US$ 1,4 bilhão, segundo estimativa realizada por eles. A manifestação deve começar às 8h, mas não há prazo para que as ações sejam encerradas. Eles pretendem permanecer no local até que os governos mexicano e norte-americano deem uma “solução legítima” para a questão dos imigrantes.
Pat Oliphant

Charge de Pat Oliphant: " É, pensando nisso agora, eu, também, não notei que faríamos isso na descrição do emprego"


Mais de mil milicianos, integrantes de diversos grupos que atuam na região, deverão participar do ato. De acordo com a Guarda Nacional do Texas, 22 grupos de patriotas armados patrulham a fronteira do Texas até a Califórnia. Os grupos sugiram nos últimos meses em meio à crise gerada devido às cerca de 63 mil crianças desacompanhadas que cruzaram a fronteira desde o início do ano.
Em entrevista a Opera Mundi, o jornalista e economista mexicano Miguel Ángel Ferrer Hernández, que estuda o tema da imigração há anos, lembrou que crianças imigrantes sempre existiram, mas o aumento do fluxo registrado no último ano se deve à divulgação de informações falsas, por parte de quadrilhas que atuam na região, sobre uma possível facilidade de conseguir permanência nos EUA.
Para ele, reivindicações que pedem militarização, repressão e criação de leis para conter a imigração não surtem efeitos. A ação efetiva “que os governos podem tomar para controlar esse fluxo é criar melhores condições econômicas e sociais nos locais de origem dos imigrantes”. "Mas não existe em países como Guatemala e Honduras nenhuma política de desenvolvimento econômico que possa reverter a situação atual”, avalia Hernández..fonte; opera mundi

AddToAny

Página