Seja bem-vindo. Hoje é

Exploradores encontram cemitério de navios dos impérios Bizantino e Otomano no Mar Negro EM 2016


Uma nova descoberta vem deixando arqueólogos e estudiosos da antiguidade e idade média animados após uma equipe de pesquisadores internacionais acidentalmente encontrar mais de 40 navios naufragados no Mar Negro. 

 
Antiga rota marítima entre a Europa Ocidental e o Cáucaso, a região foi foco das expedições do programa Black Sea Maritime Archaeology, que estudou o local conhecido como "zona morta" e encontrou o cemitério de navios datados dos impérios Bizantino (séculos V até XV) e Otomano (séculos XV até XX). 

16/11/2016












Uma nova descoberta vem deixando arqueólogos e estudiosos da antiguidade e idade média animados após uma equipe de pesquisadores internacionais acidentalmente encontrar mais de 40 navios naufragados no Mar Negro. 
Antiga rota marítima entre a Europa Ocidental e o Cáucaso, a região foi foco das expedições do programa Black Sea Maritime Archaeology, que estudou o local conhecido como "zona morta" e encontrou o cemitério de navios datados dos impérios Bizantino (séculos V até XV) e Otomano (séculos XV até XX). 


Diretor do Centro de Arqueologia Marítima da Univerdade de Southampton, na Inglaterra, e um dos principais pesquisadores do projeto, Jon Adams afirmou que a idéia inicial do projeto era realizar um levantamento geofísico da região submersa, que acredita-se ter sido ocupada por humanos antes da última Era do Gelo, que inundou o local entre 12 a 18 mil anos atrás.


Nós estamos nos esforçando para responder algumas questões calorosas sobre quando o nível da água subiu, o quão rápido isso aconteceu e quais foram os efeitos sob a população humana que vivia nesse trecho entre a costa Búlgara e o Mar Negro", explicou Adams. 


Utilizando equipamentos com alta resolução e fotografias 3D, os pesquisadores mapeavam o chão marítimo há 1.800 metros de profundidade quando encontraram os destroços de navios Otomanos e Bizantinos, descobrindo informações sobre as atividades coloniais e comerciais da antiga Grécia e Roma. 


"Os destroços são um bônus completo, mas uma descoberta fascinante. Eles estão incrivelmente preservados decisivo às condições anóxicas (ausência de oxigênio) [das águas] do Mar Negro abaixo de 150 metros", completou o diretor. 


Desde 1453, quando os turcos Otomanos ocuparam Constantinopla e houve a queda do Império Bizantino, a região esteve fechada para o comércio exterior e assim permaneceu até 1856 quando Tratado de Paris reabriu o mar para todas as nações. 



Fonte: Rede TV
http://arquivosdoinsolito.blogspot.com.br/search/label/ARQUEOLOGIA

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Página



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...